noutro dia, a ver um jogo de futebol em casa da família, houve quem defendesse que os penalties haviam de acabar.
fiquei a matutar na ideia… e não a acho assim tão absurda quanto isso!
acabavam-se os penalties, e na sua vez era marcado um livre directo. deixava de existir o ónus, odioso convenhamos, para o guarda-redes que muitas das vezes nem é ele que faz a falta e acabava, também, a ladaínha dos treinadores a justificarem-se com os penalties que se marcam erradamente (sim, que raros são os treinadores que assumem que um penalty marcado contra a sua equipa é bem marcado!) e os que não se marcaram e toda a gente viu e tal!
por outro lado, penso que os próprios árbitros sentiriam menos pressão na hora de sancionar a falta. porque ela não seria, de todo, determinante como é quando se assinala um penalty. e faria com as equipas tivessem de se aprimorar no ensaio de livres directos dentro da área e coisa até ficava bem mais emocionante. vai na volta, havia aí muito macaco que não se atirava tantas vezes ao chão…!
eu, que de futebol pouco sei, acho a ideia muito interessante. e mais justa.
o que me dizes, cristina? vamos lá levantar polémica!