passou um carro por mim na A5, cuja condutora me mandou beijos.
e eu continuei a viagem com um sorriso parvo pregado na cara, daqueles que não se desfazem – lá lá lá!
(logo à noite, como resposta – sim, que eu não sou de me ficar! – prego-lhe um grande beijo em plena auto-estrada!)