peguem na revista sábado e abram na página 44.
depois, de cabeça bem arejada, leiam a entrevista à drª Isabel Empis.
se não fosse tão preguiçosa, até a transcrevia para aqui. está lá tudo, de uma forma tão simples.