(re)aprender a viver sózinha é uma tarefa!
principalmente, se ousarmos acrescentar o detalhe de aprendermos com os erros e fazermos algo de novo para nós. e por nós.

[se não tivermos a clarividência de procurar algo errado em nós, quando nos acontecem coisas inesperadas e menos boas, vamos continuar sujeitas a que elas voltem a acontecer. e não é fecharmo-nos numa concha. é perceber, encontrar caminhos e alterar. custa? ah pois custa. se custa.]